• A Família Real no Brasil (1808-1821)

 

                                I.            Contexto Histórico

 Europa do início do século XIX > Guerras napoleônicas > Bloqueio Continental (1806) >  Soberana lusa Maria I  “cria” dependência de Portugal  em relação à Inglaterra.

                              II.            Fuga do príncipe-regente D. João e da família real diante da invasão das tropas francesas

Transferência da Corte portuguesa para o Rio de Janeiro em 1808, sob escolta da Marinha BRITÂNICA

                            III.            Abertura dos Portos Brasileiros às Nações Amigas de Portugal em 1808 :

Atendia aos interesses do comércio inglês (então bloqueado na Europa por conflitos com a França) > liberdade Econômica ao Brasil

                            IV.            Tratados de Comércio e Navegação e Aliança e Amizade

D. João assina com a Inglaterra, em 1810, tratos em que mercadorias britânicas desfrutavam de taxas alfandegárias menores, em que Portugal deveria reduzir gradativamente o tráfico negreiro > fatos que contribuíram para retardar a industrialização no Brasil.

                              V.            Igualdade política em relação à Portugal

 Elevação do Brasil à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves. A partir da Conferência de Viena, em 1815, o Brasil deixa de ser Colõnia.

                            VI.            Revolução Pernambucana

Movimento separatista e republicano, influenciado pelas idéias iluministas. Ao longo de quase três meses a revolução alastrou-se pelo nordeste, entretanto as tropas de D. João VI reprimiram o movimento.

  • A emancipação Política

Comerciantes portugueses iniciaram um movimento exigindo a volta de D. João VI a Portugal, a promulgação de uma constituição liberal e o restabelecimento dos monopólios e privilégios no comércio com o Brasil, abolidos em 1808, deram início a emancipação Política Brasil-Portugal.

 Imagem

Charge Síntese do processo de emancipação do Brasil: a aristocracia comemorando, o povo alheio e distante, e, por trás, a presença INGLESA. Por Miguel Paiva

 

  • Retorno da família real a Lisboa e regência de Dom Pedro I.

Regência de D. Pedro I

        I.            Duas forças políticas:

a)      Partido português

Burocratas, comerciantes e militares lusos, partidários da recolonização.

Representantes:  José Bonifácio de Andrada e Silva, líder do partido

b)      Partido brasileiro

Aristocracia rural, elite brasileira nascida ou não no Brasil . Pregavam o anticolonialismo

Após uma série de viagens pelas províncias brasileiras com o objetivo de pacificar conflitos regionais e ganhar apoio para o seu governo, D. Pedro II, no dia 7 de setembro de 1822, a meio caminho entre Santos e São Paulo, às margens do riacho Ipiranga, proclamou a Independência do Brasil.

      II.            Independência para quê (m)?

  1. Garantir a integridade territorial, transformar os diversos povos do Brasil em apenas um, inclusive instaurar língua comum e ordenar a não-utilização dos dialetos indígenas.
  2. Conter e reagir contra as emancipações nas províncias da Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e Cisplatina.

 

    III.            Reconhecimento da Independência.

  1. Estados Unidos, em 1824 lançando a Doutrina Monroe : “América para os americanos”.
  2. Portugal, em 1825, sob forte PRESSÃO INGLESA e em troca de indenização de dois milhões de libras.

 

    IV.            Início da dívida externa

  1. Empréstimos feitos junto à INGLATERRA para garantir a independência.

 

      V.            Falta de manutenção das estruturas coloniais:

  1. Escravidão, monocultura, latifúndio, DEPENDÊNCIA ECONÔMICA, FALTA DE DIREITOS e de PARTICIPAÇÃO POLÍTICA, pobreza.

 

    VI.            Crise econômica:

  1. Esgotamento da mineração
  2.  Falta de produtos de exportação (açúcar, algodão, couro)diante da concorrência internacional.

 

  VII.            Dissolução da Assembléia Constituinte, 1823

  1. Apresentação da elaboração de um projeto constitucional, por parte dos Brasileiros, que limitava os poderes do monarca.

 

  1. Constituição de 1824
    1. Estabelecia que a monarquia era hereditária, constitucional e representativa.
    2. Presença de quatro poderes; Moderador; Executivo; Legislativo e Judiciário.
    3. Voto aberto e baseado na renda (censitário)
    4. Eleições indiretas
    5. Catolicismo como religião oficial
    6. Submissão da Igreja ao Estado

O Processo de Independência

Anúncios
Etiquetado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: